Browsing Tag

Arouca

Serra da Freita

Yellow Savages Arouca Serra da Freita

Confesso que só conheço a Serra da Freita por causa dos Passadiços do Paiva (shame on me!), mas desde que passei por lá que dizia que queria voltar, e voltei!! Voltei porque é lindo, a vista é de cortar a respiração, tem vacas felizes soltas a pastar e é tão, tão sossegado.
Parece um daqueles cenários dos filmes históricos. Fiquei à espera de homens vestidos com farrapos e armados com flechas, mas nada.
Fomos ao Miradouro da Frecha da Mizarela que é o ponto mais alto da Serra e depois ao Radar Meteorológico que tem um miradouro 360 onde podemos contemplar os vales e montanhas circundantes. Em dias limpos é possível ver a Serra do Montemuro e Marão a nordeste, Serra do Caramulo, Estrela e Lousã a sul, Ria de Aveiro a oeste. Até o rio Vouga é visível da torre.
Nesta serra o tempo passa muito devagar e por isso resolvemos saboreá-lo. Levámos o farnel e almoçámos mesmo ali.
Quando somos mais novos pensamos sempre em viajar para lugares exóticos e extravagantes. Mas agora que sabemos que os dias de férias não esticam faz cada vez mais sentido viajar pra fora mas cá dentro.

Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita
Yellow Savages Arouca Serra da Freita

Passadiços do Paiva

YellowSavages Arouca Passadiços

Quem me segue no Instagram percebeu que fui passar uns dias a Arouca. Foi uma viagem com amigos que também estavam cheiinhos de vontade fazer os famosos Passadiços do Rio Paiva. Eu e o J já tínhamos pensado ir o ano passado mas com o incidente do incêndio não foi possível.
Disseram-nos que era melhor começar por Areinho do que em Espiunca, que embora mais difícil no início, compensava o esforço porque depois era sempre a descer. Então, depois de um brunch caseiro bem farto, chegámos ao Passadiços por volta do meio dia. Como estava um tempo encoberto não houve problema com o calor. Estacionámos o carro no parque lá em cima de uma montanha e descemos até encontrar o passadiço.
As suspeitas confirmaram-se: o inicio ia ser bem puxado! As escadas serpenteiam montanha acima, até se perderem de vista. Lembra a muralha da China em versão madeira. Mas vale a pena! No topo a vista é avassaladora. Vemos o rio a contornar as montanhas lá em baixo e ouvimos as cascatas lá ao longe cheias da água da chuva.
A descida foi feita calmamente, a apreciar cada ângulo. Fartei-me de fotografar (não me fartei nada, adoro cada vez mais). Estar perto do rio é fantástico, ouvimos os pássaros, o vento e o silêncio. O passadiço interfere o mínimo possível com a paisagem, estamos mesmo rodeados de natureza, e é tão bom!

YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços

O percurso tem algumas sombras e muitos locais onde pode fazer um pic-nic. Nós parámos na praia fluvial do Vau, um lugar lindo, cheio de poças de água nas rochas e com muita sombra.
Por isso fica aqui a sugestão: mochila às costas, muito protector solar e calçado confortável. E vocês, já foram?

YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços
YellowSavages Arouca Passadiços